Domingo
26 de Maio de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,03 4,03
EURO 4,51 4,52

Itatiba promove workshop de defesa pessoal feminina.

Evento foi direcionado às mulheres do fórum.   A Comarca de Itatiba recebeu, no último dia 9 (terça-feira), o I Workshop de Defesa Pessoal Feminina. Com auxílio da Polícia Militar, o evento foi direcionado a juízas, servidoras, funcionárias terceirizadas e estagiárias – mulheres que trabalham no fórum. Segundo o diretor, juiz Orlando Haddad Neto, “o objetivo do trabalho é ampliar os horizontes de consciência do público-alvo no que se refere às possibilidades de ação e reação em caso de agressão ou de sua iminência”. Mesmo sendo uma primeira experiência na comarca e inteiramente voltada ao público feminino – 22 pessoas participaram da instrução –, o magistrado faz questão de ressaltar que “não há nenhuma referência a qualquer ideologia social, notadamente o feminismo”. A ação contou com a colaboração da Polícia Militar. Os ensinamentos das técnicas foram ministrados pelo comandante do 49º Batalhão da Polícia Militar do Interior, tenente-coronel Eduardo Yasui, auxiliado pelo soldado PM Pelegrino, pelo cabo PM Amorim e pela instrutora Andrea Bonamigo. A colaboração logística ficou a cargo do agente de segurança Milton Piovesana. A partir de movimentos de pouca complexidade e de instrumentos de uso corriqueiro no dia a dia da atividade forense, as participantes obtiveram uma visão mais ampla dos recursos de que dispõem para se defender. Entre outras situações foram abordadas a resistência passiva e resistência ativa; os pontos sensíveis e pontos vitais; o controle da distância do agressor e a leitura corporal. “O trabalho foi uma primeira experiência que se direciona a um objetivo mais amplo, qual seja, o preparo de todos os funcionários para eventos de diferentes gravidades, desde agressões pontuais, até atentados praticados por atirador ativo”, afirma o magistrado. Há um ano, um homem descontrolado foi preso no fórum de Itatiba, após agredir dois juízes durante o expediente forense.     Agressão no passado motivou evento direcionado às mulheres que trabalham no fórum   Na tarde de 28/3/18, dois magistrados de Itatiba sofreram agressões verbais e físicas por parte de uma pessoa. Em razão do tumulto, o juiz diretor foi chamado. À época, os magistrados registraram B.O. na Delegacia de Itatiba e o Tribunal de Justiça publicou, em seu Portal, nota externando repúdio pelo acontecido. No texto, o presidente do TJSP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, lembrou que o respeito à função judicante advém da Constituição Federal e não retrata apenas o respeito ao juiz e sim a quem pede julgamento ou espera por ele. “Os integrantes do Poder Judiciário repudiam o ocorrido e se solidarizam com os colegas agredidos. A Presidência se coloca à disposição de todos os juízes paulistas, apoiando integralmente o livre exercício da magistratura – ato que garante ao jurisdicionado a independência e a imparcialidade das decisões.”                    imprensatj@tjsp.jus.br
18/04/2019 (00:00)
Visitas no site:  55521
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.