Terça-feira
16 de Julho de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,75 3,75
EURO 4,22 4,22
LIBRA ES ... 4,69 4,69

Projeto que auxilia imigrantes venezuelanos vence Prêmio Conciliar é Legal

O projeto do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) “Justiça Sem Fronteiras”, que visa ao atendimento judicial itinerante aos imigrantes venezuelanos que chegam ao estado venceu o IX Prêmio Conciliar é Legal do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O projeto foi selecionado entre 105 projetos inscritos na categoria Tribunal de Justiça e a cerimônia de premiação ocorreu na primeira sessão plenária do CNJ, em 5 de fevereiro, em Brasília. A ação é resultado de acordo de cooperação entre o TJRR e o alto comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), firmado em junho do ano passado, pelo qual a Corte se comprometeu a prestar atendimento judicial itinerante à população de refugiados venezuelanos que se encontra no estado. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que cerca de 30,8 mil venezuelanos vivem no Brasil atualmente. De junho a dezembro, a Justiça itinerante de Roraima fez aproximadamente 380 atendimentos a venezuelanos em alguns dos 80 abrigos de Boa Vista – em cada unidade, vivem aproximadamente 700 pessoas. De acordo com o juiz Erick Linhares, da Vara Itinerante de Boa Vista, idealizador do acordo, a demanda maior dos atendimentos foi pelo reconhecimento de união estável, inclusive de casais homoafetivos, direito que ainda não é reconhecido na Venezuela. “Já tínhamos a experiência do atendimento itinerante com comunidades indígenas. É uma situação muito triste, muita gente na rua ou vivendo em barracas. O projeto representa um pouco do que podemos fazer para ajudar a resolver alguns problemas dessas pessoas”, diz o magistrado. A vara oferece aos imigrantes a resolução de questões cíveis que envolvam, por exemplo, reconhecimento de paternidade, de união estável, fixação de alimentos, posse e guarda de filhos menores, entre outras. Além disso, são processados e julgados pedidos de registro de nascimento de crianças nascidas no Brasil, retificação de registro, emancipação, interdição e causas dos juizados cíveis e fazendários. O acordo permite, inclusive, que toda a documentação do processo seja feita em espanhol. As audiências também são realizadas na língua materna dos venezuelanos. O tradutor, inclusive, é um imigrante que era juiz em seu país, e tem auxiliado o tribunal durante audiências de custódia. De acordo com Erick Linhares, outra demanda significativa que a Justiça itinerante de Roraima recebeu foi pela regularização de guarda de crianças, pois muitas vieram com apenas um dos pais ou com outros parentes. A regularização da guarda facilita o atendimento em hospitais e a matrícula em escolas. A participação de magistrados na Justiça Itinerante, uma política incentivada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), é regulamentada pelo Provimento nº 20/2012 da Corregedoria Nacional de Justiça. Confira vídeo de cerimônia de casamento coletivo realizada pelo juiz Erick Linhares em abrigo de venezuelanos em Roraima Prêmio Conciliar é Legal O Prêmio Conciliar é Legal foi criado pelo CNJ em 2010 a fim de identificar, premiar e dar destaque às práticas que buscam a solução de litígios por decisão consensual das partes, em ações que contribuem para a pacificação de conflitos no âmbito da Justiça brasileira.Conforme o regulamento do prêmio, participam os tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino, professores, estudantes, advogados, usuários, empresas ou qualquer ente privado mediante a apresentação de práticas autocompositivas executadas inpidualmente ou em grupo. Luiza FarielloAgência CNJ de Notícias
11/02/2019 (00:00)
Visitas no site:  90860
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.