Segunda-feira
20 de Janeiro de 2020 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,18 4,18
EURO 4,64 4,64
LIBRA ES ... 5,45 5,45

Tribunal firma contrato com Banco do Brasil

Acordo é referente a depósitos judiciais.           Em cerimônia realizada ontem (13), o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, firmou contrato com o Banco do Brasil para a prestação de serviços de centralização e administração, em regime de exclusividade, de contas de depósitos judiciais dos créditos de precatórios e requisições de pequeno valor (RPV) já existentes e a serem efetuados.         Ao falar sobre a contratação, o presidente Pereira Calças exaltou o trabalho dos juízes assessores da Presidência, afirmando que a atuação coletiva foi fundamental para a concretização do acordo, e comemorou a ocasião. “Esse é um dos momentos mais importantes da gestão. Conseguimos chegar a um acordo justo para todas as partes. O contrato dá ao Tribunal de Justiça de São Paulo e ao Banco do Brasil uma posição de igualdade dos contratantes dentro das regras do mercado. A função do contrato é equalizar a posição dos contratantes”, ressaltou. O vice-presidente da Corte paulista, desembargador Artur Marques da Silva Filho, e o corregedor-geral da Justiça, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, afirmaram estar muito satisfeitos com o acordo, que irá trazer benefícios para as partes e, também, melhorar o atendimento ao público.         Em seguida, o vice-presidente do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo Júnior, declarou que esta foi uma das negociações mais difíceis de sua carreira e que se orgulha muito do trabalho produzido. “O contrato só foi possível por conta da vontade das instituições em sentar à mesa e buscar um acordo, e é isso que estamos comemorando hoje. Esse contrato é a concretização da vontade das partes. Gostaria de ressaltar o trabalho dos magistrados do Tribunal de Justiça, que se preocuparam com aqueles que utilizam a Justiça e fizeram questão de incluir cláusulas que irão agilizar o trabalho e dar segurança ao processo”, disse.         O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), juiz Jayme Martins de Oliveira Neto, falou em nome dos juízes. “A negociação com o Banco do Brasil foi longa, e isso é um indicador de que foi bem feita, chegando a um termo que agradasse às duas partes. Todos os envolvidos nesta negociação estão de parabéns, especialmente o presidente Pereira Calças.”         Os juízes assessores da Presidência Leandro Galluzzi dos Santos (Gabinete Civil) e Maria Rita Rebello Pinho Dias (Tecnologia, Gestão e Contratos) classificaram a experiência como “riquíssima” e disseram estar bastante satisfeitos com os resultados alcançados – satisfatórios tanto para o Banco do Brasil quanto para o Judiciário paulista.         Também participaram da reunião os juízes assessores da Presidência Rodrigo Marzola Colombini (Gabinete Civil), Ana Rita de Figueiredo Nery (Tecnologia, Gestão e Contratos), Ana Claudia Dabus Guimarães e Souza de Miguel e Tatiana Magosso (Recursos Humanos), Airton Pinheiro de Castro e Ricardo Dal Pizzol (Assuntos Jurisdicionais), e Daniela Maria Cilento Morsello e Fabio Coimbra Junqueira (Designação de Magistrados); o diretor de Governo do Banco do Brasil, Enio Mathias Ferreira; o superintendente do BB Euler Antonio Luz Mathias; e o superintendente regional da instituição, Elias Almeida da Silva.                    imprensatj@tjsp.jus.br
14/11/2019 (00:00)
Visitas no site:  397565
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.